Compra de votos com drogas.

Levantamentos da PF e do Ministério Público nos estados mostram que a forma mais comum de compra de votos continua sendo o pagamento em dinheiro. Mas outras maneiras menos ortodoxas de corromper o eleitor foram usadas nas eleições deste ano pelo Brasil afora. É o que revela a reportagem publicada na edição de sábado (20.10.) do  jornal Extra. Na cidade amazonense de Itacoatiara, a 176 quilômetros de Manaus, a candidata à vereadora Carme Cristina (PDT) foi presa porque, segundo a Polícia Civil, ela trocava base de cocaína por votos. A matéria, assinada pela repórter Juliana Castro, de O Globo, traz também, entre outros, os exemplos de Foz do Iguaçu (PR) e Palmeira dos Índios (AL). Na cidade paranaense um suposto esquema envolvia oferta de aparelhos ortodônticos em troca de votos para um candidato a vereador, cujo nome não foi divulgado. Quatro pessoas foram presas pela Polícia Federal em setembro.  Já em Alagoas, a troca se deu por meio de programas sociais. Ainda de acordo com o jornal, a PF explicou que na cidade alagoana os eleitores deveriam comparecer à casa do candidato com o título eleitoral para trocar seus votos por moradias do programa “Minha Casa Minha Vida”. Em Jequié já houve informações de que candidato a vereador teria conseguido votos com apoio dos traficantes de drogas, fato que a justiça e a Policia Federal pode apurar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: